Games: Lego!

  Faz tempo que não falo sobre jogos aqui, né? Mas gente, hoje vim falar sobre vários de uma vez! Legos originalmente eram apenas bloquinhos de montar, evoluíram para personagens feitos de lego, e finalmente foram transformados em jogos!! 
  É claro que, quando você é fã de alguma coisa, corre atrás de tudo que existe sobre, não é? Meu amor por Harry Potter me levou a descobrir a fofura que esses games lego são. A minha série favorita é a de HP, por motivos óbvios. Andar por Hogwarts e viver tudo que esse bruxinho viveu em 7 filmes foi muito bacana. Quando um dos personagens morre, ele "desmonta", e coisas absurdas acontecem durante a história que já conhecemos.

Resultado de imagem para ´harry potter lego gif

  Esses jogos normalmente contam a mesma história do filme original, mas com muito mais humor. Os bonequinhos, por si só, são uma comédia.  E ver minhas cenas favoritas recriadas com esse novo "olhar" foi muito divertido! Você também tem a chance de jogar com quase todos os personagens, conforme a história vai se desenvolvendo. É muito indicado para crianças, ou até mesmo adultos que gostem bastante do cenário proposto e da jogabilidade (eu mesma!). 

Resultado de imagem para star wars lego gif

Existem muitos jogos como esses, no mundo da Marvel, DC, Harry Potter, Lord of the Rings, Star Wars... Eu já joguei vários, e sempre que lançam algum com um tema que me agrade, eu corro para baixar, é um jogo fácil, com jogabilidade boa pra caramba. 

Resultado de imagem para marvel gif lego

  Além de curtir um jogo fácil de vez em quando, eu amo legos, coleciono alguns em casa e acho bem bacana, tipo amor materializado, sabe? E os cenários, personagens e gráficos estão ficando cada vez melhores com o passar dos anos. Deixo aqui, um trailer do meu mais novo adquirido (presente do meu namorado, maravilhoso), "Star Wars - The force awakens", em lego, e a comparação com o original. Espero que tenham gostado da dica!


Dumplin'

Resultado de imagem para dumplin  É desafio que chama né? Esse mês está mega devagar pra mim, por isso, até hoje li apenas dois livros, os dois dos desafios! Final de semestre é teeeenso. Mas enfim, Dumplin' foi o meu escolhido para o desafio de ler um livro de comédia, pois sempre ouvi todos dizendo como a protagonista é engraçada e divertida, mas a carga emocional me atingiu em cheio! 
  Willodean é uma garota que está no ensino médio, e sofre com a morte de sua tia, Lucy. Lucy sofreu um ataque cardíaco e faleceu há um ano atrás. Por sorte, Willow pode contar com o apoio da melhor amiga, Ellen, e de sua ídola Dolly Parton. Ela é apaixonada pela Dolly, graças a sua tia. Estuda durante a manhã, e trabalha durante a tarde e noite em uma lanchonete. Bo, outro funcionário do local, começa a se interessar por ela, e podemos afirmar que é mútuo. Todas as inseguranças que uma garota de sua idade tem, não é mesmo? Bom, pra ela é um pouco diferente. Ela é gorda. Não "cheinha", "fortinha", "fofinha". Gorda. E não tem vergonha nenhuma disso, na maioria do tempo. Quando está sozinha, consigo mesma, ela não poderia ligar menos para o corpo que tem. Porém, como todas nós sabemos, existem pessoas por aí que gostam de definir o que é bonito e o que não é. E é por isso que Willowdean se sente inferior, em ocasiões específicas. Ah, eu mencionei que a mãe dela foi uma Miss da cidade onde mora? 
  Will sabe que quando não cabe em uma roupa, a culpa é da roupa, e não dela! Uma calça deveria ser elástica o bastante para caber em seu corpo, não ao contrário! Esse é um pensamento valioso, pois, quantas garotas por aí não se entristecem ao entrar em uma loja e nada servir?

Existe algo sobre os trajes de banho que te fazem sentir que você precisa conquistar o direito de usá-los. Sério, o critério é simples. Você tem um corpo? Coloque um traje de banho. 

Resultado de imagem para fat amy gif

  Mas, quando se trata da cobrança constante da sua mãe, ou das outras amigas de Ellen, até mesmo Bo, que claramente gosta muito dela e não faz questão de esconder... ela simplesmente perde a confiança em si mesma. Junte isso ao fato da obesidade ter sido o fator chave da morte de Lucy, e você sentirá um pouco da situação de Will. Engraçada, irônica e encantadora. Ficamos todo o tempo com vontade de dizer a ela o quanto ela é especial, o que ela acaba descobrindo ao decorrer da narrativa. Eu achei o enredo um perfeito exemplo de amor-próprio e auto descobrimento. 

Você tem um signo de fogo. Você ama muito, mas você se machuca muito também. Mas nem sempre deixa a dor transparecer, pois isso é uma vulnerabilidade. Você é o sol. Sempre lá. Até quando não podemos vê-la. 

  Will acaba conhecendo outras garotas que, como ela, tem uma insegurança sobre si mesmas. E juntas, irão fazer algo incrível! Basta dizer que o concurso de miss está se aproximando, e essas meninas tem muita coisa para falar. 
  A história é toda contada pelo ponto de vista da Willowdean, e pelo menos na versão em inglês, ela conversa com tanta sinceridade que é difícil não se deixar levar pelo carisma. A edição está lindíssima, capa dura, com uma pequena coroa entalhada, e jacket removível, pela editora Harper Collins. 

  

Peter Pan

Resultado de imagem para peter pan zahar  Oi galere! Vamos a mais um livro do Desafio Literário?
  O meu primeiro desafio de Abril era ler um clássico da literatura, e juntando o útil ao agradável, resolvi mergulhar no mundo mágico dos contos de fadas e ler Peter Pan, por J.M Barrie. A edição LINDÍSSIMA da Zahar é comentada, e posso dizer que isso fez toda a diferença durante a minha experiência de leitura. 
  Diferente da animação da Disney, o Peter original tinha uma pegada um pouquinho mais "dark" e menos "bonitinha". O personagem surgiu quando o irmão de James Barrie, David, faleceu quando ainda era uma criança. O primeiro menino que jamais cresceria.
  A história é bem conhecida, mas mesmo assim, vamos recapitular: Peter Pan é um garoto com todos os dentes de leite. Gracioso, consegue o que quer com seu charme e jeitinho imponente. Na terra do nunca, é o líder de um pequeno bando de meninos perdidos, e o sonho de todos eles é ter uma mãe. 
  Ao conhecer Wendy, Peter vê ali uma oportunidade de finalmente ter uma mãe (apesar de negar precisar de uma). E mesmo contra a vontade de Sininho (que não é NADA fofinha como os filmes dizem), ela e os irmãos embarcam em uma viagem para conhecer uma ilha onde tudo é possível. Como chegaram lá? Voando. Com um pouco de pó de fada e pensamentos felizes, seus pés deixaram de tocar o chão para planarem pelos céus de Londres. Seus pais, preocupadíssimos, passam o tempo todinho sem saber o que aconteceu com eles. Mas, como o próprio autor garante, tudo ficaria bem no final. 

Morrer seria uma grande aventura.
Resultado de imagem para peter pan gif

  O restante da história é praticamente a mesma. Capitão Gancho espera uma oportunidade para capturar os irmãos e fazê-los reféns, para que Peter morra tentando regatá-los. Porém, o plano não sai como planejado, e todos nós sabemos o final feliz. Mas vamos a algumas considerações sobre a escrita: O nome Wendy surgiu do apelido que a filha de um dos amigos de James o chamava (Fwendy = Friend). A garotinha faleceu ainda criança. Wendy e sua mãe são espelhos das mulheres da época: Seu maior sonho era ter filhos, cuidar deles e ser uma esposa exemplar. Hoje isso incomoda, porque né, garotas podem fazer muito mais do que isso. Mas isso é explicado logo no início do livro, meio que deixando a gente preparado para as suposições machistas que virão a seguir. Não estou dizendo que o livro é machista! Apenas que, na época, esse era meio que o "objetivo" da maioria das mulheres.
  Todos os personagens tem um traço um pouco mais pesado, como Peter que mata sem piedade seus inimigos, e Sininho, que nem pensa duas vezes quando tem a oportunidade de se livrar de Wendy. Por cíumes! Peter acha que o fascínio de todas as garotas por ele é porque elas querem ser sua mãe, mas na verdade, elas tem o pensamento de querer ser mais do que isso, como é dito por diversas vezes na narrativa.  

Quando o primeiro bebê riu pela primeira vez, o riso dele quebrou em milhares de pedaços e todos eles saíram pulando, e esse foi o começo das fadas
 ...
Sininho não era de todo má; ou melhor, ela era toda má agora, mas, por outro lado, às vezes era toda boa. As fadas têm que ser ou uma  coisa, ou outra, pois, como são tão pequenas, infelizmente só tem espaço para um sentimento de cada vez.

Resultado de imagem para tinkerbell gif

  As observações na parte de baixo de cada folha são como um presente para o leitor, explicações e referências para nos ajudar a entender e entrar cada vez mais no universo de Peter Pan. Ele também é recheado de ilustrações lindíssimas, que nos fazem imaginar com detalhes esse mundo criado por Barrie. 
  Recomendo demais para quem ama a Disney, os contos, ou que queira conhecer um clássico incrível! 

As vantagens de ser invisível

Resultado de imagem para as vantagens de ser invisivel
   Depois de ler "Vida e Morte", de Stephenie Meyer, resolvi que estava com saudades de ler livros que tivessem adolescentes como protagonistas. Então parti para uma das leituras mais rápidas e significativas que já fiz: As vantagens de ser invisível. 
  Já assisti ao filme também, então farei uma breve comparação entre os dois meios: Livro e telas. Vamos lá. 
  Charlie (Logan Lerman) é um garoto de 15 anos que acabou de entrar no ensino médio, e é prontamente acolhido por dois veteranos (que, por sinal, são irmãos): Sam (Emma Watson) e Patrick (Ezra Miller). Os dois são super divertidos, e o tratam como um igual, e não inferior por ele apenas ser mais novo e "na dele". Charlie se apaixona rapidamente por Sam, mas ela deixa claro que quer apenas ser amiga do garoto, e eles cultivam uma bela amizade cheia de momentos lindos. Em casa, tudo vai bem na medida do possível. Seu irmão mais velho joga futebol pela universidade, sua irmã está prestes a se formar, mas vive em um relacionamento abusivo... e ele perdeu sua tia Helen. A tia Helen era uma mulher bacana, legal, que cuidava dele e dos irmãos e sempre o presentava com mais coisas do que o normal. Ela faleceu em um acidente de carro. Achou aleatório eu citar isso aqui? Pois bem, esse fato é o ponto chave de toda a história. Essa não é uma narrativa repleta de reviravoltas, mas tem como principal tema o auto-descobrimento. Isso é uma palavra? Bom, se trata de descobrir quem você é, de verdade, e como tudo ao seu redor pode influenciar o seu comportamento. 
  Tanto o livro quanto o filme tem cenas fortes, e tratam de assuntos importantes, como abuso, traição, preconceito, sexualidade, suicídio, depressão, trauma, drogas... E tudo isso é falado de uma maneira simples e objetiva, acredito que perfeito para o publico alvo. 

A gente aceita o amor que acha que merece.
Resultado de imagem para charlie and sam gif

  Algo interessante que percebi lendo, e não havia notado enquanto assistia, é que Charlie tem um jeito único de pensar. Ele sofreu um trauma, que só é revelado no final do enredo, mas fora isso é como se fosse o jeito "Forrest Gump" de ser. Fala sem filtro, é super emotivo e chega a ser infantil as vezes. Isso quase não existiu no filme, e como no livro temos apenas a versão dos fatos dele, é fácil de perceber pelos pensamentos que ele descreve para o leitor. E ele pensa de-mais! Por exemplo, se vê uma pessoa sentada na calçada, começa a pensar porque ela se sentou ali e não no banco, se está cansada, com sede, ou se só está esperando o tempo passar. Se é isso, quanto tempo ela vai ficar ali? É um pouco cansativo as vezes.
  Todos os capítulos são em formato de cartas curtas para uma pessoa desconhecida, onde ele indica filmes, músicas, e explica todas as situações que o levaram a chegar até ali. Seu professor o empresta diversos livros, e ele indica vários dos seus favoritos. Eu me senti muito próxima do protagonista com essa forma de escrita.
  A leitura é super flúida, li tudo em dois dias! A história é muito bacana, e a adaptação segue bem a linha do livro, nada muito importante ficou de fora. Meio que uma mídia completa a outra, então recomendo muito para quem puder, ler e assistir! 

E é isso, galere! Espero que tenham gostado :3 

Imagem relacionada
Imagem relacionada

Vida e Morte

Resultado de imagem para vida e morte  Oi gente! Pra encerrar o mês de Abril, consegui terminar (por pouco!) meu segundo desafio literário! O tema era: Ler um livro que você acha que vai ser ruim. Foi bem difícil escolher, mas cheguei a conclusão que Vida e Morte foi uma das minhas maiores compras "por impulso", e ele ainda ia ficar bastante tempo na estante. Para quem não sabe, esse título é o "Crepúsculo Reimaginado". Aquele mesmo, com os vampiros, que aposto que você leu quando tinha uns 12 anos! 
  Stephenie Meyer resolveu presentear os fãs da saga com esse livro, que foi uma edição comemorativa de 10 anos do lançamento do original. E como ele foi reinventado? Ela mudou todos os gêneros! Bella Swan se tornou Beau, um garoto tímido, que estava acostumado ao calor e a cidade de Phoenix, onde morava com a mãe. Porém, precisou se mudar para a gelada cidade de Forks, e viver com seu pai, Charlie. Charlie e René, os pais do protagonista, foram os únicos que mantiveram seus gêneros, pois a autora achou que seria bem difícil o garoto ter vivido todo o tempo que viveu com a mãe, com seu pai, pois na época a guarda raramente ficava com o pai. Enfim, continuando... Edward Cullen se transformou na adorável e engraçada Edythe, uma vampira que vive com sua família na pacata cidade, onde pode andar livremente durante o dia, caçar sem problemas, e seus familiares são respeitados e conhecidos por sua beleza, graça e bondade. Mas isso tudo muda quando os dois se conhecem. Edythe e Beau tem uma conexão instantânea, e o restante da história é basicamente a mesma! A tentação para Edythe, o espanto (ou a falta dele) ao descobrir o que ela realmente é, e o perigo que essa relação pode causar aos dois. 

Ela riu, e o som foi como música, embora eu não conseguisse pensar em nenhum instrumento com o qual comparar.

Resultado de imagem para Madison Davenport gif

  Por incrível que pareça, os novos personagens foram muito mais fáceis de se apegar! Beau é um fofo, todo atrapalhado, mas é sarcástico e não lembra nem de longe a ameba que era a Bella (desculpas a quem curte, porém até no livro ela é bem monótona). E a Edythe é MUITO mais bacana que o Edward! Inteligente, linda, engraçada... Consegui imaginar toda a história original com eles como protagonistas e acho que seria bem melhor. 
  Percebi uma coisa que não havia notado na época de Crepúsculo. Quando todos os gêneros foram mudados, me toquei que a maioria dos personagens marcantes eram homens originalmente. Os vilões eram um trio (dois homens, uma mulher), o triângulo amoroso (Jacob, Edward), todos os caras que viviam cercando Bella (Erick, Mike, etc etc etc). E senti um girl power fortíssimo nessa versão. Algo que me incomodou e atrapalhou a leitura por diversas vezes foi a revisão. Tinha MUITA frase dita pelo Beau e pela Edythe com os pronomes trocados no feminino e masculino. Será que o revisor estava confuso? Pode ser, né? 
  Aqui em baixo, tem um pequeno spoiler, então se não quiser ler, nos despedimos aqui! Agora, se você ainda for curioso, pode continuar: Meyer disse que usou a oportunidade para finalmente arrumar vários erros no roteiro que ela percebeu e nunca pôde alterar. E ela também mudou o final! Para que tudo começasse e terminasse nesse único livro. Em suma, não foi tão ruim quanto eu esperava, mas achei o final bem sem noção, feito sem nenhum cuidado, tipo: Ok. É isso, aceitem e não façam perguntas! Portanto... Meio que cumpriu o propósito, já que todo o enredo da obra foi simplesmente jogado em um final sem pé nem cabeça. 

© Viver em dois mundos - 2016 | Todos os direitos reservados| Tecnologia do Blogger.